Rinite e sinusite: o Lota é a solução!

Nada mais incômodo do que conviver com os sintomas indesejáveis de uma rinite alérgica ou de uma sinusite. Quem sofre desses males tem frequentemente distúrbios de sono, problemas de produtividade no dia-a-dia e desconfortos constantes.

A boa notícia é que existe uma solução simples, barata e eficaz para o tratamento: lavar o nariz com o Lota! Uma pesquisa feita com médicos do Hospital Municipal de Karlsruhe e da Universidade de Colônia, na Alemanha, atestou que a limpeza das narinas promove a diminuição em 60% do uso de remédios mais fortes para o combate da rinite.

No caso da sinusite, a lavagem com solução salina também ajuda muito no alívio dos sintomas causados pela inflamação dos seios da face, incluindo as fatídicas dores de cabeça. Pessoas com quadro alérgico ou com asma são mais propensas a desenvolverem sinusite, e por sua vez é rara a presença desse distúrbio em não-portadores de rinite. Vale também lembrar que boa parte das sinusites bacterianas ocorrem depois de gripes e resfriados, o que torna as estações frias e secas um banquete para a manifestação de doenças respiratórias. 

Uma dica é não esperar o surgimento dos primeiros sintomas: a lavagem nasal com o Lota deve atuar como mecanismo preventivo para a manutenção das narinas sempre limpas e saudáveis.

As células da mucosa nasal possuem pequenas estruturas delicadas – cílios, responsáveis por empurrar o muco na direção da garganta para que seja engolido. A difusão por capilaridade, princípio fisiológico do uso do Lota, é o processo ideal para que a limpeza seja feita por completo, uma vez que ocorre lentamente por gravidade e permite que a solução salina dissocie seus íons, o que torna o sódio e o cloro agentes antissépticos. O tratamento da sinusite pode ser auxiliado com 2 gotas de extrato de própolis sem álcool na água com sal, pois trata-se de um agente natural bactericida, ideal para combater o quadro infeccioso provocado pelos micro-organismos oportunistas.

A utilização de seringas para a higienização nasal é menos eficaz, pois a pressão diminui o tempo de contato com os cílios, não potencializando a atuação dos íons e podendo ocasionar o rompimento de vasos nasais.